Dispositivos obsoletos nas redes empresariais no nível mais elevado

2 OUTUBRO 2014
A percentagem de dispositivos obsoletos e antigos nas redes corporativas a nível mundial tem vindo a aumentar nos últimos seis anos, de acordo com o relatório Network Barometer Report 2014 divulgado pela Dimension Data.

O relatório confirma o efeito prolongado da crise financeira global dos últimos anos. Mais de 51% dos dispositivos analisados são antigos e/ou obsoletos. Adicionalmente, 27% dos dispositivos estão na fase “posterior” do ciclo de vida do produto, e no ponto em que o fornecedor começa a diminuir o suporte.

Raoul Tecala, Business Development Director for Networking na Dimension Data refere que há três forças principais por detrás desta tendência. Em primeiro lugar, após a crise económica, as empresas mantêm-se focadas na redução de custos – particularmente na redução do CAPEX. Em segundo lugar, há uma maior apetência para utilização de modelos de consumo das TIC as-a-service de forma a reduzir a necessidade das organizações investirem na própria infraestrutura. Por fim, acreditamos que o aparecimento das redes definidas por software (software defined networks - SDN) poderá levar as organizações a “esperar para ver” antes de selecionar e implementar uma nova tecnologia – fator que acreditamos se torne mais influente nos próximos 16 a 36 meses.

Observando os dados numa perspetiva regional, as Américas, Ásia-Pacifico e Europa apresentam aumentos relevantes no percentual de dispositivos obsoletos e antigos, enquanto a Austrália e Médio Oriente & África (MEA) parecem ter melhorado ligeiramente em relação ao ano passado.

Grande parte dos aumentos podem ser explicados pela macroeconomia. Gastos de infraestrutura de rede estão muitas vezes ligados a condições económicas locais: diminui em períodos de contração e acelera durante períodos de crescimento. No ano passado, a Austrália e MEA apresentaram percentuais mais elevados (mais de 50%) de dispositivos antigos e obsoletos em comparação com as Américas (37%). Europa (41%) e Ásia-Pacifico (44%). Esta tendência reflete a desaceleração da economia na MEA e Austrália. Enquanto isso, a crise económica na Asia-Pacifico inflacionou a percentagem local de dispositivos antigos. As Américas continuaram no seu crescimento constante, o que resultou num percentual maior de dispositivos antigos, embora não tão elevado como noutras regiões”, acrescenta Tecala.