Radio Popular recorre a processo para reestruturação financeira

5 JUNHO 2013

A Hipotenusa SGPS, empresa acionista maioritária da Radio Popular, recorreu ao processo especial de revitalização (PER), tendo como objetivo a sua reestruturação financeira.

Esta decisão surge, segundo a empresa, na sequência do prolongado clima de retração económica, que tem afetado o rendimento das famílias e muito especialmente o retalho dos eletrodomésticos e da eletrónica de consumo, sector onde atua, há mais de 35 anos, a Radio Popular.

A Hipotenusa encara este processo como “um instrumento natural de gestão que visa a reestruturação financeira e o reforço da sua continuidade” e garante que “não afetará o bom desempenho que a Radio Popular vem demonstrando ao longo dos últimos meses", em que tem inclusive, de acordo com a empresa, aumentado ligeiramente a sua quota de mercado. "Este processo é similar a outros 200 que já existem em Portugal e não vamos encerrar lojas, nem despedir pessoal", assegura Ilídio Silva, presidente da Radio Popular, em declarações à Rm.

Com 38 lojas no continente, Madeira e Açores, a Radio Popular é a segunda maior marca de retalho de eletrodomésticos e eletrónica de consumo a nível nacional, com um volume de negócios anual superior a 150 milhões de euros. Tem atualmente cerca de 720 colaboradores, postos de trabalho que, de acordo com a Hipotenusa, não serão ameaçados. “Pelo contrário, esta medida visa a sua manutenção”, avança a acionista da Radio Popular.

Apesar da atual conjuntura, a administração da Hipotenusa confia na total recuperação económica da empresa. “A força da marca Radio Popular, a qualidade demonstrada pela equipa que todos os dias a gere e um plano de reestruturação sustentado e ao mesmo tempo realista serão determinantes”.

Com a cortesia da Revismarket.