STEF cresce 7,2% no terceiro trimestre

3 NOVEMBRO 2014
A STEF apresentou uma progressão do seu volume de negócios de 7,2% no 3.º trimestre, aproveitando o impulso do 1.º semestre, apesar de uma redução do consumo alimentar e das condições meteorológicas estivais pouco propícias ao consumo de produtos sazonais (gelados, produtos à base de carne).

As vendas realizadas por conta de terceiros (clientes da restauração vocacionada para empresas) localizam-se em França, Espanha e Bélgica.

No âmbito da sua política de crescimento externo, o Grupo reforçou a sua presença no Norte da Europa com a aquisição, a 1 de setembro, da empresa holandesa Speksnijder Transport. Esta empresa contribui com 1,3 milhões de euros ao longo do período.

O volume de negócios das empresas britânicas cedidas, em janeiro de 2014, representou 2,4 milhões de euros no 3.º trimestre de 2013.

O volume de negócios do pólo de Transporte em França mantém um ritmo sustentado de progressão, apesar das desfavoráveis condições climáticas em julho e agosto. Os fluxos da empresa EBREX, integrados no início do ano, reforçam significativamente a quota de mercado do grupo em todos os segmentos de mercado.

Embora os níveis de stocks processados por conta de industriais tenham descido, a evolução da atividade atingiu 8% no seu todo, graças ao desenvolvimento de processos de logística just-in-time. A atividade da Distribuição continua a ser uma alavanca de crescimento, em especial graças ao início do funcionamento de uma plataforma na região Sul-Pirenéus, dedicada a um importante interveniente na grande distribuição.

A Península Ibérica beneficia da retoma económica e do ajustamento do seu modelo comercial de transporte orientado para os clientes de médio porte. A Itália prossegue com a sua dinâmica e continua a acompanhar os grandes industriais do sector agroalimentar no seu desenvolvimento. A aquisição de uma nova atividade na região de Trentino veio reforçar a rede do nordeste de Itália. Neste trimestre, o Benelux (Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo) está a progredir fortemente em especial devido à aquisição da empresa Speksnijder Transport na região de Roterdão (Países Baixos).

A região meridional sofreu, no início de julho, com um conflito social externo à empresa e com a imobilização de um dos seus navios no porto de Marselha. Algumas ligações tiveram de ser asseguradas com partida no porto de Toulon. Neste difícil contexto, a atividade de fretes resistiu bem (+5,1%) mas a atividade de passageiros não conseguiu aproveitar plenamente o período de Verão (-1,6%).

O volume de negócios acumulado a 30 de setembro de 2014 ascendeu a 2037 milhões de euros face aos 1915 milhões de euros a 30 de setembro de 2013, um aumento de 6,4%.