Consumidores portugueses usam novas tecnologias para poupar

3 NOVEMBRO 2014
No Dia Mundial da Poupança, o Observador Cetelem apresentou conclusões de um estudo que mostra que os portugueses são cada vez mais racionais e responsáveis no que diz respeito ao consumo. No momento da compra, a principal preocupação continua a ser o preço e, por esse motivo, os consumidores não hesitam em usar as novas tecnologias para poupar.

O estudo revela que os portugueses têm consciência de que, apesar da retoma económica que já se começa a sentir, vão ter de continuar a gastar mais em despesas obrigatórias, o que dificulta a sua capacidade de poupança. 48% dos consumidores portugueses declararam querer aumentar as suas poupanças em 2013. Este ano, são apenas 35% a pretenderem fazê-lo.

Atualmente o consumidor europeu é mais racional na hora de comprar e já não dispensa a consulta de informação na Internet sobre os produtos que quer adquirir. Portugal está no topo desta tendência. A análise do Observador Cetelem indica que 53% dos portugueses pesquisa sobre os produtos na Internet antes de os ir comprar à loja (média europeia: 43%). Além de procurar os produtos online, muitos consumidores (70%) dizem procurar promoções e reduções na Internet antes de ir a um estabelecimento comercial. 22% dos inquiridos ainda não o fazem, mas consideram esta opção muito vantajosa.

Além disso, agora é cada vez mais recorrente aceder à Internet na loja. Grande parte dos inquiridos (41%) chega a utilizar o seu smartphone para comparar os preços dos produtos e a percentagem considerável que ainda não o faz (32%), acredita que é um método muito útil.

No top de aplicações para smartphones nota-se uma clara preferência por ferramentas que respondam a necessidades reais. Aplicações que sirvam para comparar os preços dos produtos com os de outras lojas ocupam o primeiro lugar do top de apps esperadas nas lojas pelos consumidores. 73% consideram esta ferramenta de grande utilidade.

Os já bem conhecidos sites de vendas de ocasião continuam a ser uma opção dos consumidores, mas o estudo revela agora uma nova tendência: a compra de material usado nas próprias lojas. 60% dos consumidores europeus declaram que poder comprar material de ocasião os incitará a frequentar mais as lojas.