P&G acusada de fraude fiscal e fuga de capitais na Argentina

3 NOVEMBRO 2014
O fisco argentino denunciou judicialmente a Procter & Gamble por fraude fiscal e fuga de capitais.

As autoridades fiscais explicaram em comunicado que a fraude teria sido cometida mediante operações de importação do Brasil que eram faturadas através de uma filial na Suíça por 138 milhões de dólares. O fisco analisou 2.608 operações de importação de lâminas e máquinas de barbear, produto capilares e outros artigos de higiene que terão sido “sobrefaturados”.

As autoridades suspenderam de forma preventiva o número de contribuinte da P&G e a sua inscrição no registo de importadores e exportadores, assim como a possibilidade de operar no mercado de troca de divisas. “O nosso objetivo principal é que a P&G devolva ao Banco Central as divisas desviadas e pague as sanções aduaneiras e o imposto sobre os lucros desviados pela manipulação dos preços de transferência”, defende Ricardo Echegaray, porta-voz do fisco argentino.

Foi, ainda, solicitado junto da Justiça o impedimento da saída do país por parte dos gestores da filial argentina da P&G até que a situação esteja resolvida.