73% das marcas poderia desaparecer

12 JUNHO 2013

A desconexão entre as marcas e as pessoas permanece, com a maioria a não se importar se mais de 73% das marcas deixasse de existir, revela o índice MeaningfulBrands 2013 do Havas Media Group.

Continuando a tendência de 2011, apenas 20% faz a diferença de uma forma relevante e positiva para o bem-estar das pessoas, com um grande e crescente desfasamento entre os mercados desenvolvidos e emergentes. Na Europa e nos EUA, as pessoas não sentiriam a falta de 92% das marcas se estas desaparecessem. Na América Latina, esta percentagem reduz-se para 58% e na Ásia para 49%. Nestes dois últimos mercados, as pessoas têm um envolvimento com as marcas seis vezes superior ao dos mercados ocidentais.

O índice de 2013 regista mudanças significativas de desempenho tanto nos sectores como nas marcas analisadas face à vaga global anterior realizada em 2011. No ranking global, a Google assume a primeira posição, seguida pela Samsung, Microsoft, Nestlé e Sony, que compõem o top 5. De seguida, surgem a IKEA, Dove, Nike, Walmart, Danone, Philips e P&G. Este ano, metade das marcas do top 10 estão ligadas ao sector da tecnologia. “As marcas de tecnologia estão a tornar-se novos ícones pessoais, dando-nos novas oportunidades para aumentarmos o nosso potencial. Não só estas nos facilitam a vida, ao ajudar-nos a viver de forma mais inteligente e saudável ou aumentando as nossas capacidades, como, mais importante do que isso, se tornaram ícones aspiracionais. Ajudam as pessoas a expressarem-se e a ligarem-se com os outros, fazendo com que se sintam melhor, mais felizes e mais satisfeitas com as suas vidas. As marcas de tecnologia estão a tornar-se mais relevantes para a nossa vida porque são capacitadoras chave para atingirmos todo o nosso potencial”, comenta Sara de Dios, diretora global do projeto MeaningfulBrands.

Entre as marcas que mais ganham terreno neste relatório, incluem-se a Nike que se posiciona a nível global na sétima posição, a Mercedes Benz e a Adidas, ambas na 11.ª posição, e a Dove que aparece no sexto lugar. As marcas que continuam a crescer, segundo o índice MBI, são a Walmart, a Microsoft, a P&G e a Samsung, entre outras. Isto claramente demonstra que as marcas melhor classificadas segundo este índice são mais fortes, com um maior valor de marca e com níveis superiores de preferência, lealdade e envolvimento emocional por parte dos consumidores.

Os resultados do estudo MeaningfulBrands 2013 demonstram estatisticamente que as marcas relevantes ultrapassam em 120% os resultados do mercado bolsista. Isto demonstra como, mesmo em termos objetivos e financeiros, a relação entre as pessoas e as marcas pode tirar partido da mensuração, comunicação e desenvolvimento de bem-estar acrescido.