Investimento no imobiliário comercial de Espanha e Irlanda perto de níveis record

17 NOVEMBRO 2014
Irlanda e Espanha estão perto de quebrar os níveis record no investimento em imobiliário comercial, uma vez que os compradores procuram valor fora de mercados core, de acordo com o mais recente estudo da consultora global CBRE.

Portugal faz parte do grupo de países em que a atividade de investimento do imobiliário comercial está em recuperação, nomeadamente no terceiro trimestre de 2014. Conjuntamente com a Holanda e a Itália todos registaram aumentos significativos em termos homólogos.

Tim Seconde, Diretor Associado do departamento de Investimento da CBRE Portugal comenta “a procura por ativos core de qualidade e oportunidades de promoção mantem-se muito alta em Portugal, continuando a compressão das yields prime. Como em Espanha e Irlanda, estamos agora a assistir a investidores a analisar produto menos core, em Portugal, com disponibilidade para assumirem mais risco para maiores retornos. O volume de investimento para 2014 pode atingir níveis altos em Portugal, dependendo do fecho de várias transações antes do final do ano.

O investimento no imobiliário comercial europeu totalizou 48,4 mil milhões de euros no terceiro trimestre de 2014, um aumento substancial de 27% em relação ao terceiro trimestre de 2013 e de 4% em comparação com o trimestre anterior. Desde o início do ano o investimento total alcançou 133 mil milhões de euros, que reflete um aumento de 27%, quando comparado com os 105 mil milhões de euros registados nos primeiros três trimestres de 2013.

O desempenho do investimento comercial no mercado irlandês e espanhol foi particularmente impressionante no terceiro trimestre de 2014. A Irlanda alcançou o seu maior resultado de sempre neste trimestre, com 1,6 mil milhões de euros, ultrapassando o seu melhor anterior terceiro trimestre de 2006, com 1,5 mil milhões de euros. Espanha registou 3,5 mil milhões de euros investidos no terceiro trimestre de 2014.

Os principais mercados do Reino Unido e da Alemanha continuam a mostrar um forte crescimento, com ambos os países a registar aumentos acima de 20% comparando o trimestre anterior e o terceiro trimestre de 2013. Em ambos os países os investidores estão cada vez mais ativos fora dos principais centros, para benefício dos mercados regionais.