Famílias portuguesas querem poupar mais

21 NOVEMBRO 2014
O mais recente estudo do Observador Cetelem revela que há mais portugueses com intenção de poupar (35%) face ao mesmo período do ano passado (23%). Desde 2012, ano em que a intenção de aumentar as economias situava-se nos 8%, tem-se verificado uma evolução positiva. Contudo, o estudo revela também um aumento das despesas: 35% dos portugueses pensam aumentar os gastos, quando em 2013 eram apenas 18% a tencionar fazê-lo. De uma forma global, o saldo entre poupanças e despesas é positivo (0,3%).

A faixa etária mais poupada é a que se encontra entre os 25 e os 34 anos: 43% tencionam aumentar as suas economias. Já os indivíduos mais velhos, entre os 55 e os 65 anos, são os que menos pensam poupar (22%), mas também os que menos tencionam aumentar despesas (24%). Os consumidores entre os 45 e os 54 anos são os mais gastadores: 42% revelam maior intenção de aumentar despesas. Contudo, nesta faixa etária, existe também uma grande percentagem de consumidores com intenção de poupar mais (41%).

Geograficamente, o sul destaca-se por ser a região onde mais se pretende aumentar as despesas e onde menos se pretende poupar. Mais de metade dos consumidores da região sul (55%) admite aumentar os seus gastos e apenas 25% pensam fazer mais economias, o que resulta num saldo poupanças/despesas negativo (-31%).

O estudo revela ainda que as categorias com maior intenção de compra para os próximos meses são lazer/viagens (8%) e smartphone (8%), seguidas pelos tablets (5%), eletrodomésticos (5%) e mobiliário (5%). Curiosamente, e ao contrário da maioria das faixas etárias, no caso dos indivíduos entre os 45 e os 54 anos são os eletrodomésticos que dominam as intenções de compra para os próximos meses (10%).