L'Óreal, Unilever, P&G e Beiersdorf multadas por concertação de preços em França

L

6 JANEIRO 2015
Várias empresas do sector da higiene pessoal e beleza, entre as quais a L'Óreal, Unilever, P&G e Beiersdorf, foram multadas em 605,9 milhões de euros pela autoridade francesa competente em matéria de concorrência por concertarem o preço dos produtos.

Trata-se da maior sanção imposta pelo organismo francês, superando os 534 milhões de euros impostos em 2005 a empresas do sector das telecomunicações e os 384 milhões de euros aplicados à banca em 2010.

De acordo com informações veiculadas pela imprensa local, a maior visada pela sanção das autoridades francesas foi a L’Oréal, que deverá pagar 189 milhões de euros. A empresa já comunicou que vai recorrer desta decisão. Colgate-Palmolive, Henkel, Unilever, Procter & Gamble, Reckitt Benckiser, Sara Lee, Laboratoires Vendôme, Beierdorf e Vania foram também sancionadas. A SC Johnson, Colgate-Palmolive e Henkel não deverão pagar a multa, ou será fortemente reduzida, pelo facto de terem denunciado a situação de concertação às autoridades.

Oito destas empresas, entre as quais a Unilever, foram também multadas, em 345,2 milhões de euros, por concertação de preços no sector da higiene do lar. A Unilever, à qual foram aplicadas duas coimas que totalizam 173 milhões de euros, comunicou que vai também recorrer da decisão, que considera “desproporcionada e injustificada”. Segundo as autoridades francesas, estas empresas “coordenaram as suas políticas comerciais na grande distribuição e acordaram a subida dos preços”.