Tesco lança serviço para o Google Glass na sua app de compras

15 JANEIRO 2015
A Tesco tornou-se no primeiro retalhista britânico a lançar um serviço para o Google Glass dentro da sua app de compras. Desenvolvido pelos Tesco Labs, o serviço Tesco Grocery Glassware permite aos clientes navegar por entre os produtos, consultar a sua informação nutricional e adicionar itens ao seu cesto de compras.

A Tesco adianta que quis manter este serviço simples, considerando a adesão dos consumidores à tecnologia wearable e o seu potencial de crescimento. “Na Tesco, queremos assegurar-nos que temos os meios que permitam aos clientes comprar quando e como quiserem, pelo que estamos a testar as possibilidades deles comprarem através dos seus óculos”, comenta Pablo Coberty, engenheiro responsável pela área de inovação nos Tesco Labs.

Este novo serviço trabalha em paralelo com as contas dos clientes no site Tesco.com e automaticamente acrescenta produtos ao cesto de compras online que podem ser comprados por computador, telemóvel ou tablet. “Não consideramos que o Google Glass se torne numa nova plataforma de compras uma vez que a sua funcionalidade é diferente e mais imediata. No entanto, complementa os outros dispositivos e integra a experiência de compras na vida quotidiana, uma vez que os produtos podem ser comprados sempre que os consumidores necessitem”, acrescenta o engenheiro.

Os wearables estão a crescer em popularidade e a dar um novo alento ao mercado da eletrónica de consumo, quando muitos segmentos que o compõem atingiram já a maturidade. Os mais recentes resultados financeiros de grandes fabricantes, como a Samsung e a Sony, por exemplo, espelham isto mesmo, com ambas as empresas a revelar bons desempenhos nos seus produtos “core”, casos da linha de smartphones Galaxy e das consolas de jogos PlayStation 4, respetivamente, mas dificuldades nos restantes segmentos de negócio. Ao ponto da Sony, por exemplo, ter muito recentemente anunciado que irá reduzir o seu “line-up” de TV e de smartphones para se concentrar nas consolas de jogos. É por este motivo que a consultora Euromonitor adverte que os grandes fabricantes devem procurar novas fontes de receitas, precavendo-se para a eventualidade dos seus principais produtos atingirem, também eles, a maturidade. Smartphones e tablets já não catalisam vendas como anteriormente, com os “wearables” a afirmarem-se como a potencial “next big thing” no mercado da eletrónica.

Leia mais sobre este tema no artigo “A “última Coca-Cola no deserto” da eletrónica de consumo” publicado na última edição da Grande Consumo.