Expansão do primeiro centro comercial de Angola custa 117 milhões de euros

26 JANEIRO 2015
Um grupo de privados, incluindo uma empresa do grupo brasileiro Odebrecht, prevê um investimento de 117 milhões de euros para a expansão do primeiro grande centro comercial de Angola, inaugurado em 2006 nos arredores de Luanda.

Segundo o Dinheiro Vivo, o investimento no "Belas Shopping" consta de um contrato, aprovado por decreto presidencial de 13 de janeiro, entre a sociedade Kulanda Belas Malls, HO - Gestão de Investimentos e a Odebrecht África Shopping Services (OASS), com a estatal Agência Nacional de Investimento Privado (ANIP).

O documento autoriza a obra de expansão daquele centro comercial, com o aumento da área bruta locável em mais de 16.000 metros quadrados, instalando 110 novas lojas, incluindo áreas de bowling e salas de cinema "premium", e ainda a ampliação do estacionamento automóvel, em mais de 1.100 lugares.

O investimento global, de acordo com os termos do acordo, ao abrigo da Lei do Investimento Privado em Angola, ascende a 136.264.625 dólares (cerca de 117 milhões de euros), incluindo a entrada do grupo brasileiro Odebrecht no empreendimento (quota de 30%), assegurando a capitalização da sociedade Kulanda, responsável pela sua gestão.

No mesmo acordo, pode ler-se que é objetivo dos promotores introduzir em Angola o "conceito de 'turismo de consumo', proporcionando uma oferta conjunta de oportunidade de comércio, lazer, diversão, cultura e restauração".