Mercado norte-americano impulsiona procura mundial de vinho

27 JANEIRO 2015
O mercado norte-americano deverá ser o grande catalisador do mercado mundial de vinho em 2018, face à desaceleração do consumo na China e à contração nos mercados tradicionais, como o francês e o italiano. Entre os principais “drivers” do mercado está, ainda, a procura de vinhos rosé e frisantes.

No período de 2014 a 2018, o consumo nos Estados Unidos da América deverá aumentar 11%, para os 378 milhões de caixas de nove litros, de acordo com dados da Vinexpo. O crescimento na China deverá ser de 25%, face aos 69% atuais. Os EUA deverão tornar-se no maior país consumidor de vinhos em 2018, à frente de França, Itália, Alemanha e China, incluindo Hong Kong.

Outros países que se irão destacar entre os dez maiores consumidores de vinho em volume são o Reino Unido, Argentina, Rússia, Espanha e Austrália. Em contrapartida, em termos de consumo per capita, os quatro principais mercados – Itália, França, Suíça e Portugal – deverão previsivelmente ter uma queda nos volumes em 2018, ao contrário da Áustria e da Grécia.

O consumo global de vinho tinto irá alcançar os 2,51 mil milhões de caixas, dentro de três anos, 3,5% mais que em 2013.