Fagor quer recuperar vocação internacional

24 FEVEREIRO 2015
Após o processo de insolvência e posterior reativar da atividade produtiva e comercial pela “mão” do CNA Group, a Fagor quer agora recuperar a sua vocação internacional e reforçar a presença nos mercados externos. Para além da consolidação nas regiões onde já está presente, nomeadamente Portugal, a “nova” Fagor ambiciona, ainda, expandir-se para geografias como a Rússia, Brasil, Argentina, Norte de África e Emirados Árabes Unidos.

Paralelamente, a fabricante de eletrodomésticos vai também começar a fabricar equipamentos de frio, nomeadamente combinados, algo que não constava dos planos de reativação industrial iniciais, na unidade de San Andrés. Atualmente, a Fagor já produz pequenos domésticos e equipamentos de cocção em Garagarza, fábrica que também vai receber a produção de máquinas de lavar a roupa de gama alta em maio. Brevemente, a unidade de termodomésticos de Basauri irá, também, ser reativada.

A meta ulterior da Fagor é faturar cerca de 200 milhões de euros este ano, 40 milhões acima do inicialmente previsto, e alcançar os 400 milhões de euros em 2016.

Estes objetivos foram anunciados recentemente numa convenção interna, onde estiveram presentes alguns diretores de filiais, nomeadamente dos Estados Unidos da América, Marrocos, República Checa, Malásia e Dubai.