Consumidores querem devolver os produtos que já não usam

23 MAIO 2014
As lojas continuam a ser o lugar de referência para concretização do consumo. 70% dos europeus declaram que efetuaram as suas últimas compras numa loja. 43% afirmam que recorrem exclusivamente às lojas, valor que em Portugal chega aos 53%.

É verdade que o "e-commerce" veio retirar algum público às lojas físicas, no entanto, um estudo do Observador Cetelem procurou perceber que iniciativas poderiam as lojas desenvolver para continuar a captar a atenção dos consumidores. Na análise destacou-se a possibilidade de poder devolver material usado que já não é utilizado (79% na Europa e 82% em Portugal).

As lojas físicas criam iniciativas e oferecem serviços de que os consumidores não podem usufruir virtualmente para continuar a chamar a atenção dos clientes. Além da devolução de material usado e do qual se pretendem livrar, o esclarecimento dos funcionários acerca do funcionamento dos equipamentos e a sua ajuda para encontrar o produto procurado são outros aspetos valorizados pelos consumidores europeus, com 77% e 73% respetivamente.

Ter espaços específicos na loja para levantar compras feitas através da Internet (73%) e digitalizar o conteúdo do cesto sem ter que retirar o que dentro dele se encontra (66%) são as restantes duas iniciativas do top 5 eleitas como preferidas pelos consumidores europeus.

A rapidez e o conforto das compras feitas através da Internet atrai muitos consumidores, porém os espaços físicos têm uma maior facilidade em proporcionar ao cliente um atendimento mais personalizado e que vai mais ao encontro do que ele procura e este facto, a par das iniciativas que só podem ser levadas a cabo nas lojas tradicionais, são alguns dos motivos que levam os europeus a continuarem a preferir os pontos de venda físicos”, explica Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem em Portugal.