Danone estabiliza na Europa

Danone

25 FEVEREIRO 2015
A Danone fechou o exercício de 2014 com uma descida no seu volume de negócios em torno dos 0,7%, para os 21.144 milhões de euros, em valores absolutos. Numa base comparável, contudo, as vendas cresceram 4,7%.

Deste valor, 11.129 milhões de euros foram ganhos pela divisão de produtos lácteos frescos, que cresceu 1,5%. A nutrição infantil faturou mais 6,1%, totalizando 4.397 milhões de euros, as águas cresceram 11,6%, para os 4.186 milhões de euros, e a nutrição médica aumentou 7,9%, para os 1.432 milhões de euros.

Os lucros operacionais totalizaram os 2.151 milhões de euros, 1,1% mais que em 2013, e os lucros líquidos desceram 4,6%, em termos absolutos, para os 1.561 milhões de euros. Em valores comparáveis, contudo, os lucros líquidos cresceram 3,6%.

2014 fica marcado pela estabilização do negócio, após vários anos difíceis, num exercício “crítico para a Danone, com algumas transformações importantes direcionadas para preparar a empresa para o futuro”. Franck Riboud, presidente da empresa alimentar francesa, mostra-se, no entanto, confiante no futuro, agora que a Danone “conta com os recursos e a estrutura para enfrentar os novos desafios globais”.

A nível europeu, as medidas estruturais adotadas, tanto ao nível produtivo como ao nível comercial, começaram a dar frutos, com a região a postular-se como a única que conseguiu incrementar as suas vendas em todos os trimestres de 2014, crescendo 2% no cômputo geral do ano, para os 8.522 milhões de euros.

As previsões da Danone para 2015 estão em linha com o ano passado, antecipando um crescimento orgânico das vendas entre 4% e 5%. A empresa assume que “as condições económicas irão manter-se globalmente difíceis e instáveis, com tendências de consumo frágeis ou até mesmo deflacionárias na Europa, os mercados emergentes a serem penalizados pela volatilidade das divisas e as dificuldades inerentes a alguns dos maiores mercados”.