Portugal aumenta consumo de bebidas em lata

Portugal aumenta consumo de bebidas em lata

12 MARÇO 2015
De acordo com o último relatório divulgado pela Beverage Can Makers Europe (BCME) – organização sem fins lucrativos constituída por fabricantes de latas de bebidas, fornecedores de matérias-primas (como aço e alumínio) e indústrias relacionadas na Europa -, Portugal registou um aumento na produção de bebidas em lata, acompanhando o crescimento verificado a nível europeu.

Em 2014, Portugal registou uma produção de 672 milhões de bebidas em lata, na categoria dos refrigerantes, registando um aumento de 18% face ao ano anterior. Relativamente à produção de cerveja em lata, foi registada uma diminuição de 22% passando de 182 milhões, em 2013, para 140 milhões de latas produzidas em 2014.

A baixa produção de cerveja em lata é explicada pela diminuição do consumo desta bebida dado às temperaturas anormais que se fizeram sentir nos meses de julho e agosto, época alta onde é propício o aumento de consumo de bebidas em lata. Contudo, e de um modo geral, Portugal aumentou a produção de bebidas em lata em 8,3%, registando um aumento de 62 milhões entre os anos de 2013 e 2014.

Este número é traduzido numa diferença de 750 milhões para 812 milhões na produção desta embalagem. “Em 2015 expecta-se que os refrigerantes continuem a ser a principal alavanca na demanda do consumo de bebida em lata. Dado ao seu design apelativo, e cada vez mais elaborado, a lata é vista como a embalagem perfeita para bebidas refrigerantes. Este é um pressuposto que se estende também para a cerveja. Estimamos que, mais cedo ou mais tarde, a lata seja a embalagem eleita para o consumo da cerveja nos lares. Portugal, a lata alcança taxas de recuperação muito elevadas pois não nos podemos esquecer de que, afinal, a lata é infinitamente reciclável, segura, de fácil abertura e oferece vantagens logísticas imbatíveis”, refere Miguel Aballe, diretor geral da Associação de Latas de Bebidas.