Preços e promoções influenciam compras de alimentos por parte dos portugueses

Consumo

16 MARÇO 2015
Apesar da qualidade dos produtos ser o fator mais valorizado por quase um terço dos consumidores (29%), para a esmagadora maioria a decisão de compra é influenciada por argumentos financeiros.

Do total de inquiridos num estudo do IPAM – The Marketing School, 26% olha somente para o preço, 21% privilegia a gestão rigorosa do orçamento e 17% admite que a escolha do local onde realiza a despesa é determinada pela realização de campanhas e promoções.

O trabalho da escola de marketing revela onde é que, nos últimos 12 meses, os portugueses reduziram os seus gastos. Três em cada quatro consumidores inquiridos (78%) admite que, ao longo do último ano, reduziu o número de refeições realizadas fora de casa, seguindo-se as reduções na compra de calçado e vestuário (67%), de objetos de decoração para o lar (59%), de acessórios (58%), nas idas ao cinema (57%) e na realização de férias fora do país. Nos últimos tempos, os portugueses revelaram-se, ainda, mais contidos no que toca a gastos com bens duráveis, de que são exemplo os eletrodomésticos e equipamentos eletrónicos , com 55% dos consumidores a admitir ter comprado menos produtos desta natureza no último ano.

O estudo, coordenado por Mafalda Ferreira, docente do IPAM - The Marketing School e especialista em Ciências do Consumo, traça as perspetivas dos consumidores para aquilo que será o ano de 2015. Quase metade dos inquiridos (46%) considera que a situação do país é “melhor” que a vivida há um ano atrás e que isso terá reflexos no poder de compra. Um em cada três (33%) antevê que a situação financeira do agregado familiar irá melhorar em 2015 e quase metade dos consumidores inquiridos considera que o seu poder de compra será maior do que o evidenciado em 2014.