Tetra Pak regista progressos nas suas metas ambientais

Tetra Pak

27 MARÇO 2015
Em 2014, a Tetra Pak fez novos progressos no cumprimento das metas ambientais estabelecidas para 2020, ultrapassando várias etapas no desenvolvimento de produtos sustentáveis, redução da pegada ambiental da sua cadeia de valor e aumento da reciclagem.

Em 2014, foi lançada, a nível mundial, a primeira embalagem de cartão para bebidas totalmente renovável, a Tetra Rex, produzida inteiramente com cartão e plástico de base biológica, incluindo o sistema de abertura TwistCap OSO 34. A embalagem está atualmente a ser testada no mercado pelo produtor de laticínios finlândes Valio.

A Tetra Pak assegurou, também, a certificação do Forest Stewardship Council (FSC) para a cadeia de custódia das últimas sete instalações de um total de 92 localizações e entidades legais da companhia abrangidas em todo o mundo. Isto significa que a Tetra Pak pode fornecer embalagens com o símbolo do FSC a partir de qualquer localização a nível mundial. Durante o ano de 2014, a empresa vendeu quase 44 mil milhões de embalagens com o símbolo do FSC em todo o mundo, mais 38% que em 2013. Além disso, desde 2007, ano de lançamento da primeira embalagem da Tetra Pak com o símbolo FSC, a companhia já produziu mais de 130 mil milhões de embalagens certificadas pelo FSC.

Além disso, dados validados a meados de 2014 mostram que as emissões de CO2 ao longo da cadeia de valor da Tetra Pak baixaram 8%, tendo como teto de emissões registadas em 2010, apesar de um incremento de produção de 7% durante o período em análise. No que toca às suas próprias operações, a Tetra Pak continua a manter as emissões de CO2 abaixo do valor de 2010. Em 2014, as emissões foram 1,5% inferiores às registadas naquele ano, apesar dos 13% de crescimento na produção. As classificações da Tetra Pak no Carbon Disclosure Project aumentaram significativamente em 2014. A pontuação subiu de 91 para 97, enquanto a média da indústria se situa nos 53. A classificação no Carbon Performance evoluiu de B em 2013 para A em 2014, ao passo que a classificação média na indústria é de C.

A Tetra Pak introduziu, ainda, uma série de novas soluções de tratamento e embalagem para ajudar os clientes a reduzir o seu próprio impacto ambiental. Nomeadamente a unidade de tratamento assético contínuo Tetra Therm Aseptic Flex, que oferece aos produtores de laticínios elevados níveis de desempenho com o mais baixo impacto ambiental e custo de aquisição; um novo processo de pasteurização para sumos de elevada acidez, que pode gerar economias de 20% no consumo de energia ao reduzir a temperatura do segundo processo de pasteurização de 95°C para 80°C, sem comprometer a segurança e a qualidade do produto final, um serviço de benchmarking ambiental para ajudar as empresas de alimentos e bebidas a avaliar o desempenho ambiental das suas unidades de produção e a identificar oportunidades de melhoria e, também, um leque mais alargado de soluções de abertura de base biológica, que reduzem as emissões de CO2 entre 14 e 19% comparativamente com sistemas equivalentes de base fóssil.

Os esforços de reciclagem da Tetra Pak também continuam a evoluir e, em 2014, foram recicladas 651 mil toneladas de embalagens em todo o mundo, mais 28 mil toneladas que no ano anterior. Isto representa 26% da produção anual da empresa, um valor relativamente baixo face à meta de 40% fixada para 2020. Para apoiar o processo de reciclagem, a Tetra Pak lançou a embalagem Tetra Top, com topo separável, para produtos pasteurizados e UHT.