Ferrero quer gerar 75% da energia consumida pelas suas fábricas

14 MAIO 2014
O Grupo Ferrero está a apostar num plano de eficiência energética internacional com o qual se compromete a produzir o equivalente a 75% da energia consumida por todas as suas fábricas europeias até ao final de 2014.

O compromisso também contempla que 25% da energia seja de fontes renováveis. Os objetivos foram avançados recentemente na apresentação do Relatório Anual de Responsabilidade Social Corporativa do grupo, na Embaixada de Itália, em Lisboa. Publicação que expressa o compromisso da quarta maior empresa mundial na área dos doces com o respeito dos direitos humanos, do meio ambiente, dos recursos naturais e com o fomento de hábitos de vida saudáveis.

A responsabilidade ambiental concretizou-se ao alcançar antecipadamente um dos objetivos previstos para 2020, nomeadamente a redução do consumo energético por unidade de produção em 5%, ao mesmo tempo que conseguiu diminuir em 20% o consumo de água.

Ao apostar na preservação do meio ambiente, a Ferrero assume também uma produção que respeita os recursos naturais. As seis matérias-primas utilizadas no fabrico dos seus produtos – cacau, avelãs, cana-de-açúcar, óleo de palma, café e ovos – são de origem sustentável e em equilíbrio com o desenvolvimento dos recursos naturais. Além disso, o grupo italiano vai implementar planos de traceabilidade e assegurar fontes de abastecimento naturais para os seus produtos agrícolas, como as avelãs ou o açúcar de cana. Toda a produção das matérias-primas básicas será regida por diretrizes amigas do ambiente.

A Ferrero fixou ainda metas no que concerne a redução das emissões e gases com efeito estufa e irá diminuir em 40% as suas emissões de CO2 derivadas de atividades de produção. Em 2013, reduziu mais de 30 mil toneladas de CO2, o que equivale às emissões totais anuais de 14 mil automóveis. Adicionalmente, e porque as emissões de CO2 também derivam da distribuição dos produtos, foi também estabelecido o objetivo de reduzir em 30% as emissões de gases com efeito de estufa originadas nas atividades de transporte e armazenagem.

O relatório destaca algumas metas na cadeia de abastecimento, nomeadamente 100% de recurso a cacau sustentável até 2020. “O cacau, obviamente, é uma das matérias-primas mais consumidas pelo Grupo Ferrero e os nossos critérios de excelência na qualidade, respeito pelos direitos humanos e pela sustentabilidade são fundamentais no processo de abastecimento. As nossas certificações visam garantir que o produtor tenha relações comerciais o mais diretas possível e a longo prazo, numa ótica de gestão das plantações para uma produção sustentável e respeito da normativas laborais internacionais”, explica Max de Simone, diretor responsável pelo mercado português. O mesmo se pode afirmar quanto ao óleo de palma usado pela Ferrero na confeção dos seus produtos, que segundo a WWF é amigo da floresta.