Luís Simões posiciciona consumidor final como elemento-chave na transformação do mercado logístico

Luís Simões posiciciona consumidor final como element-chave na transformação do mercado logístico

2 ABRIL 2015
O crescimento do comércio eletrónico está a provocar uma reestruturação dos procedimentos logísticos, uma vez que são os próprios operadores que garantem eficiência da entrega, assegurando que o cliente tem uma experiência positiva de compra. A Luís Simões partilhou esta mesma noção na 10.ª edição dos Debates ICIL, em Madrid, que se realizaram no passado dia 25 de março, onde Gonzalo Pérez, diretor de logística para a zona centro, apresentou a aposta do grupo no segmento de comércio eletrónico.

Sob o mote “O Futuro é a Logística: Novos modelos de negócio”, o encontro reuniu mais de 300 profissionais e especialistas do sector em torno das novas tendências de mercado. Gonzalo Pérez integrou o debate “Como chegar ao cliente global: Mudança de paradigma”, moderado por Xavier Suárez, da Fundação ICIL, no qual foi destacado o atual processo de transformação do mercado, de B2B para o C2C, enfatizando o papel crescente do consumidor final. “A imersão da nossa empresa neste segmento surge no âmbito do esforço e capacidade de adaptação às necessidades dos nossos clientes. Através do e-“commerce”, estendemos os nossos serviços tendo em vista fidelizar e satisfazer os pedidos dos nossos públicos”, avançou.

Na Península Ibérica os consumidores do espaço online despenderam um total de 15.269 milhões de euros por ano, conforme um relatório apresentado pela Associação de E-commerce Europa, em 2013. Com base nestas perspetivas, em 2015, a Luís Simões está a apostar na oferta um serviço totalmente adaptado às exigências de cada cliente, desde a gestão de terminais de pagamento, “packagings” personalizados, manipulação de kits ou preparação de promoções especiais antes de proceder ao envio dos artigos, garantindo um acompanhamento próximo até à entrega final, com a integração de um call center personalizado.