Kraft e Mondelez acusadas de manipular preços de trigo

9 ABRIL 2015
As empresas americanas de alimentos Kraft e Mondelez foram acusadas de manipular preços de trigo e de trigos futuros num esquema que colheu mais de 5,4 milhões de dólares em lucro.

A Commodity Futures Trading Commission (CFTC) anunciou as acusações civis contra as duas empresas, acusando-os de usar "estratégias de negociação manipulativas", em dezembro de 2011 para artificialmente baixar os preços de trigo no mercado.

A CFTC também disse que a Kraft Food Groups e a Mondelez Global violaram as regras que limitam o volume de contratos de trigos futuros que os investidores financeiros podem negociar nas bolsas.

A agência também acusou as empresas de fazer negócios de trigos futuros que violam as regras da concorrência entre 2003 e janeiro de 2014.

A maioria das supostas violações ocorreram enquanto a Mondelez e a Kraft ainda eram uma empresa. Estas separaram-se em outubro de 2012, com a Kraft mantendo as marcas norte-americanas de mercearia e a Mondelez a levar os “snacks” com uma maior presença global.

A Kraft disse em um comunicado que não espera que o caso da CFTC tenha um impacto significativo sobre a sua situação financeira. A Mondelez divulgou em fevereiro que espera "suportar predominantemente quaisquer penalidades monetárias ou outros pagamentos que a CFTC possa impor".

A CFTC afirmou estar à procura de sanções não especificadas e de restituição, bem como uma injunção contra futuras violações das leis de “commodities” dos EUA.

Confrontado com os preços elevados do trigo no verão de 2011, a Kraft e a Mondelez usaram uma estratégia para comprar 90 milhões de dólares de trigos futuros para entrega em dezembro de 2011, no valor de um fornecimento de seis meses, a CFTC disse. Mas, as empresas nunca tiveram a intenção de aceitar o fornecimento de trigo e, em vez disso, implementaram a estratégia esperando que o mercado reagisse à sua grande participação baixando os preços do trigo. O movimento do preço trouxe às empresas mais de 5.4 milhões de dólares em lucro, de acordo com a agência.