Vendas dos derivados de carne sobem 1,6% em 2014

17 ABRIL 2015
O valor da produção de derivados de carne subiu moderadamente em 2013 e 2014, após as quedas registadas nos dois exercícios anteriores, segundo o estudo Sectores Portugal “Derivados de Carne” publicado pela Informa D&B. Em 2014 situou-se nos 960 milhões de euros, uma subida de 1,6% face a 2013, ano em que registou um crescimento de 0,5%.

Em 2014 o défice comercial com o exterior desceu, devido ao crescimento das exportações. Assim, as exportações cresceram cerca de 5%, situando-se perto dos 134 milhões de euros, enquanto as importações alcançaram um valor de 164 milhões, experimentando uma ligeira queda face a 2013. A propensão para exportar regista uma tendência de subida nos últimos exercícios, tendo passado de 9% em 2010 para 14% em 2014.

Angola é, com grande diferença, o mercado externo mais importante para os fabricantes portugueses, reunindo uma quota sobre as exportações totais acima de 70% no período janeiro-setembro de 2014.

O número de empresas no sector de derivados de carne registou um decréscimo significativo no período 2011-2013, passando de 418 para 395.

O volume de emprego sectorial também tem reduzido consideravelmente: registavam-se 6.226 trabalhadores em 2013, situando-se o pessoal médio por empresa em 16 pessoas. Predominam as empresas de pequena dimensão: cerca de 75% do total empregam menos de 10 pessoas e apenas cerca de 6% têm mais de 50 colaboradores.

Verifica-se uma alta concentração da atividade produtiva nas zonas Norte e Centro de Portugal, onde se localizam conjuntamente perto de 65% das empresas, à frente do Alentejo, com uma participação à volta de 20%.