Produtores portugueses aumentam o fluxo de paletes CHEP

17 JUNHO 2014
Um número crescente de produtores de frutas e legumes em Portugal estão a substituir as paletes reutilizáveis de madeira branca pelo sistema de pooling de paletes gerido pela CHEP, para fluxos nacionais e internacionais.

Dois produtores, a Granfer e a Planície Verde, estão atualmente a planear expandir a sua utilização de paletes CHEP "para reduzir os custos na cadeia de abastecimento, eliminar as dificuldades derivadas do sistema de troca de paletes e ganhar importantes benefícios com sustentabilidade".

Em Portugal, o sector das frutas e legumes tem crescido de forma constante nos últimos anos e a eficiência na distribuição e logística tem vindo a melhorar, produzindo mais operações com uma boa relação custo-eficácia na cadeia de abastecimento.

A CHEP está determinada em aumentar os negócios neste sector com soluções de pooling de paletes que vêm eliminar os problemas comuns associados ao sistema de troca de paletes, em particular, a disponibilidade de paletes durante os períodos de pico de procura durante o tempo das colheitas.

A Granfer é uma empresa familiar com pomares em Óbidos, na região oeste de Portugal, que tem vindo a desenvolver-se e a comercializar peras, pêssegos, nectarinas, maçãs, ameixas e damascos, contando com quase três décadas de existência. Totalmente equipada com linhas de classificação e embalamento de frutas, a empresa produz cerca de 20.000 toneladas de fruta anualmente. Cerca de 65% é exportado para mercados na Europa, América Latina e África, enquanto o restante é distribuído em Portugal.

O produtor iniciou a substituição de paletes brancas por paletes de pooling CHEP em 2006 e tem vindo a expandir o seu negócio com a CHEP – este ano para cerca de 25%. Para as exportações para França, a empresa utiliza igualmente as caixas de plástico reutilizáveis (RPC’s) da IFCO, uma empresa subsidiária da Brambles e empresa-irmã da CHEP.

Há vários anos que a Granfer tem como objetivo promover as normas internacionais e as melhores práticas na agricultura e práticas sustentáveis na produção junto dos seus agricultores parceiros. "No transporte, e comparando com as paletes brancas de madeira, a CHEP é uma solução melhor e mais eficiente em termos de custos. Com a CHEP poupamos. Por outro lado, a CHEP é muito importante para nós, devido às vantagens de sustentabilidade que nos proporciona. Estamos muito empenhados em preservar o meio ambiente e o pooling de equipamentos é muito mais eficaz e sustentável do que qualquer outra alternativa", comenta O Hélio Ferreira, diretor geral da Granfer.

Outro cliente CHEP no sector das frutas e legumes em Portugal é a Planície Verde, que se especializou em melões e foi nomeada como a “Melhor Empresa Agrícola do Ano” pela Vida Rural. Localizada em Rio Maior, a 80 quilómetros de Lisboa, desde o seu início, em 1989, como um pequeno produtor de alfaces, a empresa espera este ano produzir cerca de 10 milhões de toneladas de melões. Os seus produtos são distribuídos a clientes por todo o país, incluindo as principais cadeias de lojas alimentares e à grande distribuição em geral.

Este ano, a empresa espera aumentar a sua produção em 35%. As paletes "azuis" continuarão a substituir as paletes de troca brancas, como tem vindo a acontecer desde que a empresa começou a trabalhar com a CHEP, em 2006, de modo a reduzir os custos globais na cadeia de abastecimento e eliminar as dificuldades administrativas do sistema de troca. Os benefícios de sustentabilidade que CHEP oferece são, igualmente, muito importantes para a empresa. "A CHEP oferece-nos uma vantagem competitiva e garante que as paletes estão sempre disponíveis. A qualidade das paletes CHEP é muito superior à das paletes brancas, que são muito dispendiosas. E o sistema de troca só funciona se os nossos clientes garantirem que nos vão devolver todas as paletes. E isso nem sempre acontece. Além disso, gerir o sistema de troca de paletes é muito caro. Estamos a começar a desenvolver as exportações para o Reino Unido, França, Alemanha e Suíça e temos a intenção de começar a utilizar paletes CHEP para esses fluxos, também" adianta Luís Salmim, diretor geral da Planície Verde.

Maria do Céu Carvalho, Country General Manager da Portugal CHEP, confirma que a empresa está a fazer grandes incursões entre os produtores de frutas e legumes, nomeadamente graças ao valor acrescentado, como, por exemplo, "a garantia de que têm sempre as paletes necessárias durante a época de colheita e evitar a necessidade de armazenar paletes fora dos períodos de pico, o que acontecia com o sistema de troca de paletes brancas. A solução CHEP tem sido competitiva em termos de preço de serviço, especialmente porque os custos das paletes brancas e os custos de reparação de paletes continuam a aumentar no mercado. Com a CHEP, os nossos clientes conseguem reduzir os seus custos totais na cadeia de abastecimento, melhorando, assim, a sua eficiência. O nosso modelo sustentável de reutilizar, reciclar e reduzir o desperdício é igualmente uma grande vantagem e preocupação para os nossos clientes neste sector. É a combinação perfeita para estes produtores, que têm verdadeira paixão pela terra.