Investimento imobiliário oriundo do Médio Oriente mantém-se estável

28 ABRIL 2015
Os investidores oriundos do Médio Oriente continuam a evidenciar um forte “apetite” por investimento imobiliário a nível global, tendo protagonizado alguns negócios de grande dimensão concluídos no final de 2014, não obstante a significativa queda nos preços do petróleo registada no segundo semestre do ano passado e já no início de 2015. O fluxo de capitais originado no Médio Oriente com destino aos mercados imobiliários globais não observou nenhum colapso no último trimestre de 2014.

Alan Robertson, CEO da JLL MENA, disse: “Os investidores desta região alocaram quase tanto capital no último trimestre como no conjunto dos três trimestres anteriores, com um total de 4,5 biliões de dólares investidos no sector imobiliário nos últimos três meses de 2014. Embora o investimento externo global gerado por estes investidores em 2014 tenha sido ligeiramente inferior ao de 2013, o investimento específico em imobiliário comercial manteve-se.

Embora com níveis diferentes, os Fundos Soberanos do Médio Oriente mantiveram a sua aposta no imobiliário global durante os períodos de recessão económica e de baixa nos preços do petróleo. E mesmo quando houve um abrandamento nos volumes globais de investimento em 2009, para ligeiramente acima de 200 mil milhões de dólares, com muitos investidores internacionais a recuarem para os seus mercados domésticos, os investidores do Médio Oriente continuaram a investir a nível global.

É também no Médio Oriente que estão algumas das pessoas mais ricas do mundo, grande parte das quais valoriza profundamente a preservação de valor e as qualidades geracionais do imobiliário comercial. O Dubai, Abu Dhabi e o Kuwait destacam-se como cidades que albergam um número significativo de investidores privados ultra capitalizados (ultra high net worth individuals), os quais são definidos como indivíduos detentores de riqueza superior a 30 milhões de dólares.

Fadi Moussalli, Head of International Capital Group na JLL MENA, comentou: “Ao longo dos últimos anos, a JLL tem vindo a observar um número crescente de investidores privados e grupos familiares oriundos do Médio Oriente a alocar mais capital diretamente para o imobiliário. A maioria dos milionários e da riqueza privada no Médio Oriente está concentrada na Arábia Saudita, com mais de 204 biliões de dólares distribuídos por 64 indivíduos. É expectável que o capital do Médio Oriente se mantenha como uma das principais fontes internacionais de liquidez para o investimento imobiliário comercial a nível global.

O investimento realizado em conformidade com a Charia (Direito Islâmico) tem-se revelado uma tendência cada vez mais popular ao longo dos últimos anos, com os indivíduos mais ricos a procurar investir por intermédio de clubes, fundos ou sindicatos que respeitem essa lei religiosa. A sindicação de plataformas que apoiam o investimento de acordo com a Charia reúnem capital de um vasto leque de investidores privados ultra capitalizados e investem em oportunidades geradoras de rendimento compatíveis com esta lei, permitindo a um número maior de pessoas unirem-se em relativo anonimato para potencialmente assegurar ativos imobiliários de grande dimensão.