Vulcano lança conceito Inteligência Verde

Vulcano lança conceito Inteligência Verde

28 ABRIL 2015
A Vulcano está a estruturar-se para a nova Diretiva Energética ErP-EuP, em vigor a partir de 26 de setembro de 2015, sob o conceito de Inteligência Verde como garantia de eficiência energética, poupança e confiança para os seus parceiros e consumidores. Com a nova Diretiva Energética surgiram as normas de EcoDesign (ErP) e de Ecolabelling (ELD), no sentido de proteger os consumidores.

A EcoDesign vai estabelecer novos padrões de exigência na conceção, importação e fabrico dos equipamentos, para estarem habilitados a receber a certificação CE. Já a Ecolabelling (ELD), surge para que todos os produtos abrangidos estejam devidamente etiquetados, com informação sobre a sua eficiência energética.

Esta é uma meta que a Vulcano partilha, com produtos cada vez mais inteligentes, que cumprem com a nova Diretiva e permitem melhores níveis de eficiência, promovendo a inovação e um futuro sustentável cada vez mais verde.

A implementação da nova Diretiva será progressiva e inaugurará uma nova fase na gama de produtos da Vulcano. O foco na eficiência energética irá descontinuar gradualmente alguns produtos e equipamentos que obrigam à procura de soluções com melhores retornos ao nível da poupança energética e do consumo.

Neste momento, as Caldeiras de Condensação Vulcano já cumprem os requisitos de eficiência estabelecidos. De forma a esclarecer todas as dúvidas relacionadas com a nova Diretiva Energética, a Vulcano colocou informação atualizada no seu website (www.vulcano.pt). Estão ainda a ser desenvolvidas diversas ferramentas e serviços, destinadas a profissionais e consumidores que servirão para que a mudança decorra de forma simples e tranquila, lado a lado com a marca de confiança. E nesta fase de transição e implementação, a Vulcano já está a reforçar o seu compromisso de Apoio Total para percorrer este novo caminho com os seus parceiros e consumidores.

Sobre a Diretiva Energética ErP-EuP
Na sequência da implementação da Diretiva de EcoDesign e EcoLabelling, todos os equipamentos relacionados com energia (equipamentos produtores de calor, entre eles Caldeiras, Esquentadores, Termoacumuladores e Depósitos de Água Quente Sanitária) terão de cumprir os requisitos mínimos de emissões NOx, eficiência e de nível sonoro (Bombas de Calor), a partir de 26 de setembro de 2015.

A etiqueta de produto destina-se, em primeiro lugar, a fornecer informações importantes e eficazes aos consumidores, sobre os Sistemas com Caldeiras e outros equipamentos com potência até 70 kW e Depósitos com capacidade até 500 litros que terão necessariamente de ser identificados com a sua respetiva etiqueta de eficiência energética. Na etiqueta de sistema haverá uma classificação própria. Esta resulta do cálculo da classificação de cada equipamento constituinte e do efeito energético que uns aparelhos exercem sobre os outros. Por exemplo: um Esquentador Termostático quando instalado num Sistema Solar vê a sua classificação energética melhorada.

Independentemente do tipo de etiqueta, estas utilizam uma escala de letras de A++ a G. Será ainda introduzida uma nova classe de eficiência A+++ em 2019, altura em que as classes inferiores E a G serão eliminadas.

Esta etiquetagem de consumo energético é uma mais-valia para os consumidores, sendo já utilizadas em eletrodomésticos como frigoríficos e máquinas de lavar, onde as diferentes letras e cores permitem aos consumidores determinar e comparar a eficiência energética de um produto.