Folhas e caules da Ginja de Óbidos dão origem a produtos funcionais

24 JUNHO 2014
A Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Católica Porto apresenta os resultados do projeto “Vale Inovação - Desenvolvimento de novos produtos alimentares com base em extratos/produtos de ginja”.

Este revela como valorizar a ginja e os seus subprodutos, abrindo um novo caminho para o futuro deste fruto. A equipa de investigação descobriu que o potencial antioxidante da Ginja de Óbidos não se restringe apenas ao fruto que é, atualmente, conhecido pela sua utilização na produção da Ginjinha, mas encontra-se, também, nos seus subprodutos, particularmente nas folhas e nos caules.

O projeto demonstrou as melhores condições e o potencial para a conservação da Ginja de Óbidos congelada e seca, como alternativa de preservação deste fruto, altamente perecível. Permitiu, ainda, descobrir que este pode ser usado para formulação de várias receitas gastronómicas, permitindo o acesso a Ginja de Óbidos fora do período curto de produção. A investigação permitiu, assim, o desenvolvimento de uma linha completa de novas receitas gastronómicas e produtos alimentares com base em ginja e com elevado potencial funcional.

Nesta linha inovadora, que contou com a colaboração do especialista em novas soluções gastronómicas de alto valor, Victor Nunes, foram desenvolvidas duas formulações de doces de ginja e duas de bolacha, ginja cristalizada e gomas de ginja completamente validadas e prontas para lançamento no mercado. O projeto deu origem, ainda, a uma linha de produtos funcionais à base de Ginja de Óbidos, em que as propriedades funcionais e nutricionais, salvaguardadas na formulação, foram caracterizadas e validadas pela Escola Superior de Biotecnologia da Católica Porto. Os pedúnculos da ginja foram, também, combinados numa formulação de infusão com grande potencial sensorial e com elevadas propriedades antioxidantes validadas.

Os resultados do projeto revelam um importante papel na valorização económica de um território de baixa densidade, como é o caso de Óbidos, possuindo um forte impacto na diversificação e aumento das linhas de produtos e tecnologias da Frutóbidos, promotor do projeto. A investigação de I&DT foi desenvolvida ao abrigo do Sistema de Incentivos Qualificação PME, Vale Inovação, financiado pelo Programa Operacional Regional do Centro.