Investimento em imobiliário industrial e de logística na região EMEA regista crescimento

24 JUNHO 2014
A JLL confirmou que o mercado de investimento em imobiliário industrial e de logística da região EMEA manteve a sua trajetória de crescimento no primeiro trimestre de 2014. Fixados em 4,9 mil milhões de euros, os volumes de investimento neste tipo de imobiliário estavam 25% acima da atividade registada no mesmo período do ano passado. Além disso, o peso deste sector no mercado de investimento em imobiliário terciário continuou a aumentar, concentrando 13% da atividade no primeiro trimestre de 2014, o que compara com o peso de 10% registado no total de 2013 e reforça a evidência da crescente atratividade deste segmento.

Apesar dos volumes transacionados terem crescido em termos homólogos em todas as sub-regiões, a maior parte da atividade continuou a focar-se nos principais mercados. Quer o Reino Unido (+46% para 1,5 mil milhões de euros) quer a Alemanha (+140% para 1,3 mil milhões) registaram um crescimento homólogo significativo no primeiro trimestre, impulsionado por transações de portfólios. Ao mesmo tempo, a escassez de produto prime em França, que é tradicionalmente o terceiro maior mercado da Europa, levou a que o investimento recuasse 60% para os 230 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, quando comparado com o primeiro trimestre de 2013, o qual foi excecionalmente forte.

Ainda assim, a forte concorrência para a compra de ativos e portfólios associada a uma crescente confiança é sinal de que o sector está a atrair um espectro mais alargado de investidores, incluindo os oriundos do Médio Oriente e da Ásia. Além disso, os investidores estão cada vez mais dispostos a procurar oportunidades com maior perfil de risco. No total, 1,9 mil milhões de euros foram investidos fora destes três principais mercados (Reino Unido, Alemanha e França), o que equivale a 9% mais do que em igual período do ano passado, ainda que o peso do investimento fora destes mercados se mantenha estável, em 40% do total da atividade.

Segundo Tom Waite, diretor de Capital Markets na Europa da JLL, "este novo crescimento no investimento em imobiliário industrial e de logística continua a ser impulsionado pelo elevado volume de capital que tem este sector na mira. À medida que a tendência para a aglomeração continua, assistimos a uma forte procura de oportunidades para portfólios e plataformas. Não obstante, a apetência por transações de imóveis individuais mantém-se saudável e este tipo de operações cresceu mesmo 80% em volume face ao primeiro trimestre de 2013. Algumas tendências chave que emergiram no início deste ano incluem o aumento da dimensão média das operações, o crescimento de fluxos de capital global e a contínua emergência de oportunidades fora dos três principais mercados, especialmente na Europa Central e de Leste”.

Alexandra Tornow, Head de Research de Logística & Industrial na região EMEA da JLL, acrescenta que “a melhoria do sentimento económico a nível global e as alterações estruturais contínuas nas cadeias de distribuição estão na base de “fundamentals” de mercado saudáveis. Estes dois fatores combinados com um fluxo mais elevado de capital oriundo de fora da Europa, e que está a selecionar ativos industriais e de logística, significa que podemos antecipar um ano 2014 de novo crescimento transacional, apesar de a escassez de produto prime poder travar volumes excecionalmente elevados em alguns mercados”.