Worten quer comprar ativos da Miró

25 JUNHO 2014
São seis os interessados nos ativos da histórica cadeia de eletrodomésticos espanhola Establiments Miró, em insolvência, entre os quais a portuguesa Worten.


A oferta de compra da Worten junta-se à de um grupo de antigos gestores da cadeia, encabeçada pelo atual responsável financeiro Andrés Vidaller, e à de quatro fundos financeiros.


A venda da unidade produtiva poderá ocorrer antes do final do mês. Os administradores de insolvência irão avaliar as ofertas, dando preferência à melhor do ponto de vista económico e que assegure o maior número de postos de trabalho. Neste momento, os recursos humanos da Miró são 556 trabalhadores.


Apontada por vários meios de comunicação espanhóis como candidata à compra dos ativos da cadeia catalã, a Worten não é estreante em aquisições no país vizinho. Recorde-se que a sua entrada em Espanha se materializou, em 2009, com a compra das lojas Boulanger, a que se seguiu, em 2011, as dos pontos de venda PC City. Com 43 lojas, caso adquira os 40 estabelecimentos da Miró, a Worten ultrapassará a sua concorrente Media Markt (72) em número de pontos de venda. Além disso, ganharia peso da Catalunha, onde apenas possui quatro lojas.


Fundada em 1971, a Miró está em situação de insolvência desde 2011, com um passivo de 282 milhões de euros. O seu fundador, Francesc Miró, foi considerado culpado pelos resultados da empresa e pelo incumprimento dos compromissos com os credores. Levado a julgamento, o caso tinha sido arquivado por razões processuais. Mas um tribunal de Barcelona reabriu novamente o processo, por indícios de conduta dolosa por parte de Francesc Miró na insolvência da empresa.


Com a cortesia da Revismarket.