44% dos portugueses dispostos a fornecer dados para receber ofertas personalizadas

44% dos portugueses dispostos a fornecer dados para receber ofertas personalizadas

4 MAIO 2015
44% dos portugueses estão dispostos a fornecer dados pessoais para receber ofertas personalizadas no telemóvel quando vão às compras, revela o estudo  “Global E-Commerce and Retail Channel Preferences” da consultora Nielsen.

De acordo com o estudo, os smartphones são elementos cada vez mais importantes ao fazer as compras no estabelecimento comercial. A sua utilização na própria loja está diretamente relacionada com as promoções e descontos, nomeadamente com a utilização de cupões de descontos, tal como faz ou pretende fazer 58% dos consumidores.

Por outro lado, quase cinco em cada dez consumidores ligam-se ao Wi-Fi da loja, ou tencionam fazê-lo, para receber ofertas e informação do estabelecimento comercial. Além disso, cerca de 43% dos portugueses afirmam que gostariam de ligar-se para obter uma experiência de compra mais personalizada.

O estudo revela, ainda, que, aos poucos, a compra online vai conquistando o seu espaço no mercado português. De facto, 5% dos consumidores afirmam que, face ao ano passado, fazem compras de alimentação com mais frequência em lojas online , enquanto cerca de 20% mantém a sua frequência de compra através deste canal.

Estes consumidores, quando fazem compras online, optam pelo tradicional método de entrega em casa: 40% prefere fazê-lo desta forma. Menos entusiasmo despertam outras formas mais inovadoras de "picking", como o "click & drive" ou o "click & collect". Apenas um em cada dez portugueses utiliza estes modelos de recolha quando efetua compras pela Internet, embora mais de 20% dos inquiridos no estudo se revelem apologistas de começar a utilizá-los.  

Os produtos de perfumaria, higiene pessoal e de limpeza do lar são os mais frequentes na lista de compras online dos portugueses. Dos dez produtos que pretendem comprar através da Internet nos próximos seis meses, nove são das categorias referidas. O produto mais pedido online é o champô/condicionador (23%), seguido do gel de banho (22%) e a pasta de dentes (22%). Produtos de limpeza (21%), detergentes para a loiça (21%), toalhetes de papel (21%), papel higiénico (21%) e desodorizantes (20%) são outros dos produtos também habituais. Neste top 10 surgem a fechar o ranking, quase na mesma percentagem, a manteiga, o leite e a massa (18% nos três casos).