Academia de Gastronomia da União Europeia criada em Lisboa

6 MAIO 2015
Foi apresentada a Academia de Gastronomia da União Europeia (AGUE), no decurso da cerimónia de entrega dos prémios da Academia Internacional de Gastronomia, no Hotel Altis Belém, em Lisboa.

A apresentação coube aos membros do comité fundador da AGUE: Rafael Anson, Presidente Honorário da Academia Internacional de Gastronomia e Presidente da Real Academia de Gastronomia de Espanha, Maciej Dobrzyniecki, Presidente da Academia Polaca, e José Bento dos Santos, Presidente da Academia Portuguesa de Gastronomia, que assumirão, respetivamente, a Presidência e Vice-presidências da AGUE.

A AGUE, criada no quadro da Academia Internacional de Gastronomia, terá como principais objetivos a promoção e preservação do património Gastronómico Europeu, composto por uma riqueza cultural e histórica de enorme relevância no espaço gastronómico mundial. A Academia nasce na sequência da resolução do Parlamento Europeu de 22 de fevereiro de 2014, que destaca a importância da salvaguarda dos aspetos culturais e educativos da gastronomia.

A AGUE, filiada na Academia Internacional de Gastronomia, contará como membros as várias Academias de Gastronomia dos Países da União Europeia e terá sede oficial na cidade de Paris. A Secretaria-Geral terá como sede um espaço disponibilizado pela Câmara Municipal de Lisboa e será composta por cinco direções operacionais.

No seu discurso Rafael Anson focou a atualidade e a importância da gastronomia, termo que deixou definitivamente de ser conotado com uma atitude de elitistas de comer coisas caras e raras, para antes se cingir ao conjunto de conhecimentos, receituários e técnicas, que nos permitem desfrutar de uma alimentação variada, saborosa e saudável. Referiu-se às recomendações da U.E. na sua resolução sobre este tema, que reconhece a necessidade absoluta de uma educação escolar gastronómica e a prática de uma alimentação saudável que evite o rol incomportável das patologias relacionadas com a má alimentação, que oneram de forma insuportável os orçamentos da saúde em todos os países, mas ao mesmo tempo gastronomicamente saborosa, que promova o bem-estar e a qualidade de vida das populações. Respondeu José Bento dos Santos que em nome da APG reiterou o empenho na formação e funcionamento da AGUE e na apresentação da candidatura de Portugal à sede do Observatório Europeu de Gastronomia, cuja criação está prevista na Resolução da União Europeia.