Habitação e escritórios são os segmentos mais dinâmicos em Angola

26 JUNHO 2014
Os segmentos de habitação e escritórios continuam a ser os mais ativos do mercado imobiliário de Angola, que experimenta atualmente uma nova fase de elevado crescimento, refere a mais recente edição do Estudo do Mercado Imobiliário Angola, destacando ainda que as oportunidades de investimento são, não obstante, transversais a todos os segmentos.

O estudo nota também que esta nova fase de crescimento do mercado decorre, contudo, em moldes diferentes dos observados noutro períodos de expansão, já que as características da procura, a profissionalização do mercado e ainda o papel do Estado são agora diferentes.

Realizado pela Proprime, o documento, que assinala em 2014 a sexta edição consecutiva, foi apresentado em Luanda durante a conferência “Novos Veículos de Investimento no Sector Imobiliário em Angola”, evento que contou com o apoio e intervenção da empresa de consultoria e avaliações imobiliárias.

Francisco Barros Virgolino, diretor da Proprime, sublinha que “depois de sofrer o impacto da crise financeira internacional, a qual acabou por refletir-se no abrandamento do ritmo de desenvolvimento, o mercado imobiliário angolano assiste agora a um novo período de expansão, embora numa conjuntura diferente e com características longe do início da década passada, em que se verificou um "boom" nas vendas a qualquer valor e uma absorção de produtos ainda em planta. Além de uma procura mais alargada e com o aumento do poder de compra a generalizar-se, e da crescente profissionalização da indústria imobiliária, o Governo tem atualmente uma enorme abertura na criação de mecanismos e programas que, por um lado, atentam no desenvolvimento económico e social do país e, por outro, permitam satisfazer as necessidades da população no acesso à habitação”.

No mercado imobiliário, os segmentos de habitação e escritórios continuaram, em 2014, a ser os mais ativos, embora as oportunidades de investimento sejam também  claras em mercados como o de retalho ou de imobiliário industrial. Francisco Barros Virgolino acrescenta que outro sector a merecer atenção é o do investimento imobiliário. "Passado um ano da aprovação da lei que criou a figura dos fundos de investimento imobiliário em Angola, a indústria imobiliária, os investidores institucionais e as instituições financeiras que operam neste mercado estão definitivamente mobilizados para a utilização deste tipo de instrumento, com a constituição de vários fundos de investimento imobiliário atualmente em curso por iniciativa das mais diversas entidades”.