Consumir é “participar no apoio à economia” para 70% dos portugueses

20 MAIO 2015
O Observador Cetelem questionou os europeus sobre os conceitos que estes associam ao consumo e concluiu que os portugueses estão entre os que mais veem o consumo como uma forma de “participar no apoio à economia” (70% vs média europeia de 63%). Ainda assim, “garantir o conforto necessário” (88%) e “obter prazer de vez em quando” (72%) foram os argumentos mais referidos pelos portugueses.

De uma forma geral, observando o total de países analisados, é possível verificar que o bem-estar é constantemente referido pelos consumidores europeus. Efetivamente os argumentos “obter prazer de vez em quando” e “garantir o conforto necessário”, referidos por mais de 80% dos inquiridos, lideram o top dos conceitos associados ao consumo.

O estudo mostra ainda que a associação do consumo ao prazer, apesar de existente, é menos percetível nos países da Península Ibérica do que no resto da Europa. De facto, em Espanha e Portugal, o consumo é menos visto como uma forma de “obter prazer de vez em quando” (73% vs média europeia de 84%).

Apesar da crise, os consumidores não renunciaram ao prazer, mas parecem mais maduros e dispostos a controlar o seu consumo. No caso dos países mais afetados pela crise, como é o caso de Portugal, é curioso constatar que existem mais consumidores a encararem o consumo como uma forma de participar no apoio à economia”, explica Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem.