NOTÍCIAS MAIS LIDAS
EDIÇÃO ONLINE
Grande Consumo N.º 47-2017
Grande Consumo - Imprensa Online de Negócios
AMI Alimenta

Comissão Europeia estabelece 16 iniciativas para criar mercado digital único europeu

Comissão Europeia estabelece 16 iniciativas para criar mercado digital único europeu

22 MAIO 2015
A Comissão Europeia deu a conhecer os planos para criar um mercado único digital europeu, eliminando os obstáculos ao comércio eletrónico, entre outros objetivos.

De acordo com os dados de Bruxelas, atualmente, apenas 15% dos cidadãos europeus compram bens e serviços online noutro país da União Europeia e apenas 7% das empresas faz vendas transfronteiriças.

O objetivo da Comissão é, em última instância, passar de uma situação em que se verificam 28 mercados nacionais para um único mercado, através do derrube dos obstáculos regulamentares. A estratégia adotada inclui um conjunto de 16 ações que deverão ser implementadas antes do final do próximo ano, no sentido de melhorar o acesso dos consumidores e das empresas aos bens e serviços digitais em toda a Europa, criar condições que garantam igualdade de condições para que as redes digitais e os serviços inovadores possam prosperar e, por último, maximizar o potencial de crescimento da economia digital. “Queremos ver redes de telecomunicações continentais, serviços digitais transfronteiriços e uma nova onda de empresas emergentes inovadoras”, comentou Jean-Claude Junker, presidente da Comissão Europeia. “Queremos que todos os consumidores recebam as melhores ofertas e que todas as empresas acedam ao mercado mais amplo, em qualquer lugar da Europa. Exatamente há um ano, prometi converter o mercado único digital numa das minhas principais prioridades. Hoje, essa promessa torna-se realidade. As 16 iniciativas da nossa estratégia para o mercado único digital irão adequar o mercado único à era digital”.

Até ao final de 2016, a Comissão Europeia irá propor normas para facilitar o comércio eletrónico transfronteiriço; a aplicação mais rápida e coerente das normas de proteção dos consumidores, através da revisão do regulamento sobre a cooperação nesta matéria; serviços de entrega mais eficientes e acessíveis, uma vez que atualmente os custos destes serviços são encarados como um obstáculo por 62% das empresas que vendem online; o fim do bloqueio geográfico; a determinação de potenciais problemas de concorrência que afetem os mercados do comércio eletrónico europeu; a modernização e uniformização da legislação sobre direitos de autor; a revisão da diretiva sobre as transmissões por satélite e cabo, para avaliar se o seu âmbito de aplicação se deverá ampliar às transmissões de radiotelevisão online e como se pode potenciar o acesso transfronteiriço aos serviços da radiotelevisão na Europa; e a redução da carga burocrática a que as empresas estão sujeitas face aos diferentes regimes de IVA.

Além disso, de modo a garantir as condições para que as redes digitais e as empresas inovadoras possam prosperar, a Comissão Europeia irá apresentar uma ambiciosa revisão da normativa europeia sobre telecomunicações e o enquadramento da comunicação audiovisual, adequando-o ao século XXI e centrando-se nas funções dos distintos agentes de mercado na promoção das obras europeias; analisar o papel das plataformas online, incluindo motores de busca, redes sociais e lojas de aplicações, no mercado; reforçar a confiança e a segurança dos serviços digitais, particularmente no tratamento dos dados pessoais, na base da nova normativa europeia sobre proteção de dados que deverá ser adotada no final deste ano; e propor uma associação com a indústria de segurança informática no âmbito das tecnologias e soluções de segurança online.

Finalmente, de modo a potenciar o crescimento da economia digital, a Comissão irá propor uma iniciativa europeia de livre circulação de dados; definir normas em âmbitos fundamentais para o mercado único digital, como a saúde online, a planificação do transporte ou a energia, através de contadores inteligentes; e apoiar uma sociedade digital integradora, onde os cidadãos tenham as condições adequadas para aproveitar as oportunidades oferecidas pela Internet e aumentar as possibilidades de conseguir um emprego.