Mercado dos eletrodomésticos e da eletrónica de consumo volta a crescer

27 JUNHO 2014
Depois de terem apresentado uma quebra em 2013, os mercados dos eletrodomésticos e da eletrónica de consumo (televisores, hi-fi, vídeo, etc.) voltam a crescer em Portugal.

Segundo dados recolhidos e analisados pelo Observador Cetelem, as intenções de compras de eletrodomésticos passaram dos 23% em 2013, para os 27% em 2014. O mercado da eletrónica de consumo também aumentou quatro pontos percentuais, tendo passado dos 12% para os 16%. As intenções de compra no mercado da microinformática, que em 2013 eram de 8%, voltaram a crescer, tendo agora chegado aos 10%.

Apesar dos sinais de retoma, os 27% de intenções de compras de eletrodomésticos estão ainda longe dos 45% que se registavam em 2010. Ainda assim, é de realçar um ligeiro aumento no valor do orçamento disponível para compras de eletrodomésticos, que passou dos 152 euros em 2013 para os 156 euros em 2014.

Também a bricolagem assistiu a um aumento do orçamento médio das famílias disponível para gastos em produtos deste mercado: 409 euros em 2013 e 717 euros em 2014. As intenções de compra subiram de 13% para 14%.

2014 está identificado como o ano da retoma da economia em Portugal. Para já, as tendências de consumo manifestas pelos consumidores indicam a recuperação da economia. De um modo geral, todos os mercados apresentam uma subida das intenções de consumo, tanto em número como em orçamento disponível para gastos”, afirma Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem em Portugal.