Governo francês propõe banir sacos de plástico até 2016

30 JUNHO 2014
A ministra do Meio Ambiente francesa, Ségolène Royal, apresentou uma proposta para proibir sacos de plástico nas caixas de saída dos supermercados no país.

A Comissão para o Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Nacional votou a favor da proibição, esta semana, após um debate sobre um projeto de lei de biodiversidade.

A proibição foi proposta numa emenda ao projeto de lei por Ségolène Royal, que assumiu funções há três meses. A ministra disse que este foi um passo muito importante, que tinha sido antecipado para "há bastante tempo" por associações ambientais. "Não percebemos até que ponto os sacos de plástico não biodegradável levam à poluição e ao desperdício excessivo, o que pode causar danos consideráveis, nomeadamente para os peixes", disse.

A proibição inclui todos os sacos de plástico de uso único e sacos em balcões de produtos frescos. O projeto de lei propõe carrinhos ou cestas de compras como um substituto para os sacos. Trata-se, também, da primeira vez que os sacos de plástico para frutas e legumes estão a ser considerados.

Na sequência de um acordo voluntário, houve uma redução no uso de sacos de plástico nos balcões de supermercados franceses, caindo de 10,5 mil milhões para 700 milhões entre 2002 e 2011. "É aconselhável continuar com esta redução, porque quase cinco mil milhões de sacos de plástico de uso único e mais de 12 milhões de sacos para frutas e legumes ainda estão a ser distribuídos nas lojas", foi a resposta do governo sobre a alteração.