NOTÍCIAS MAIS LIDAS
EDIÇÃO ONLINE
Grande Consumo N.º 45-2017
Grande Consumo - Imprensa Online de Negócios
AMI Alimenta

Produtos nacionais têm qualidade mas são caros

20 MAIO 2013

Aos olhos dos consumidores nacionais, os produtos “made in Portugal” são de alta qualidade, apesar de serem artigos caros e de não conferirem prestígio a quem os adquire ou usa. Estas são algumas das conclusões do estudo “The "Made in Portugal" consumption and Country-Of-Origin perception in the context of crisis and austerity”, levado a cabo por Paula Arriscado, Rosa Conde e Bruno Galante, docentes do IPAM - The Marketing School.

Da avaliação que os portugueses fazem do produto nacional ressaltam, ainda, três outras ideias fortes: são atrativos, difíceis de identificar e não são comercializados em muitos países.

Três em cada quatro inquiridos (74,9 %) manifestam-se conscientes de que a compra de produtos estrangeiros coloca em risco os postos de trabalhos da economia portuguesa. Embora 79% dos respondentes partilhe da opinião de que “a população nacional deveria adquirir sempre artigos produzidos internamente, em detrimento dos produtos importados”, 68% reconhece que a preferência pelo que é nacional sai “mais cara”.

Tendo por base 438 inquéritos pessoais, o trabalho levado a cabo analisou quatro sectores de atividade – alimentar, vestuário e acessórios, calçado e artigos para o lar – e procurou perceber, também, qual é a representatividade dos produtos nacionais no cesto de compras dos portugueses. A principal conclusão é a de que a alimentação é o sector da produção nacional de eleição dos consumidores. 47% dos inquiridos afirma que mais de metade do seu cabaz de compras “made in Portugal” é composto por artigos do sector alimentar.