Promoções valem 19% das compras no grande consumo

7 JULHO 2014
As primeiras 20 semanas de 2014 foram palco de consideráveis mudanças no comportamento de compra dos lares portugueses no grande consumo. Segundo a Kantar Worldpanel, a mais importante foi, talvez, a considerável redução da frequência de compra, que caiu 4%, numa inversão face ao verificado em 2013.

Isso quer dizer que o aumento da pressão promocional neste início de ano não conduziu a um aumento da frequência de compra, uma vez que o “shopper” está a preferir fazer compras com cestas ligeiramente maiores (incluir valor) e ir menos vezes às compras. Para o consumo no total FMCG há um aumento de 1,1% em volume consumido pelos lares mas a um preço menor, pois o valor global caiu 2,1%.

Uma das principais explicações para este resultado prende-se seguramente com a pressão promocional. Na verdade as vendas com promoção atingem agora um peso de 19% de todo o mercado FMCG Sem Frescos. O nível de desconto médio obtido pelos compradores chegou aos 24%.

"Se nos focarmos apenas no mercado “FMCG Sem Frescos” concluímos que o valor bruto regrediu 1,7%. Mas na Kantar Worldpanel podemos retirar ainda o valor promocional a este mercado e concluir que a queda do valor, descontando o valor das promoções, foi realmente de 2,1%. Uma clara depreciação deste mercado, ainda sem contar com a inflação. Se aprofundarmos um pouco mais a análise às tendências do consumidor deste início de ano, concluímos ainda que o grupo de “shoppers” que são mais fiéis às promoções - aqueles que dedicam mais do 55% do seu orçamento a produtos em promoção - são curiosamente aqueles que apresentam uma grande redução da frequência de compra (-20,9%) comparativamente ao que fizeram no ano passado em período homólogo. Estamos portanto perante significativas mudanças de paradigma, onde a lógica promocional terá de ser avaliada e bem gerida
”, adverte a consultora.