Aspiradores Rowenta conformes com a nova regulamentação energética

8 JULHO 2014
A Rowenta garante estar inteiramente comprometida com a nova legislação sobre a etiquetagem energética dos aspiradores a ser lançada pela União Europeia em setembro de 2014 e que cumpre todos os requisitos para a correta aplicação da mesma nos seus produtos.

A Rowenta acredita que a nova legislação se traduz numa enorme oportunidade para o consumidor, na medida em que termina com a competição por uma maior potência entre os fabricantes e promove os produtos energeticamente eficientes”, refere Patrícia Parracho, diretora de Marketing do Grupo SEB. “Por outro lado, os consumidores poderão finalmente ter noção da eficácia da aspiração, o índice mais representativo da verdadeira qualidade da limpeza e o primeiro critério que se espera de um aspirador”, acrescenta a responsável.

A partir do dia 1 de setembro entra em vigor uma nova lei na União Europeia que tem por objetivo reduzir o consumo de energia anual dos aspiradores e limitar o seu impacto no ambiente. Para esse efeito, esta lei estabelece um novo limite de potência para os aspiradores que não poderão ter mais do que 1.600 watts e institui, ainda, uma performance aspiração mínima em piso liso e tapetes. A etiqueta energética, que passa a ser obrigatória, apresenta uma escala de eficiência energética composta por sete classes de A a G, ajudando os consumidores a fazerem uma compra mais responsável. A nova legislação obriga ainda a uma taxa de remoção de pó em tapete igual ou superior a 70%, pois só assim é possível garantir a eficácia dos aspiradores. Já a taxa de remoção de pó em piso liso deve ser igual ou superior 95%.

Segundo a Rowenta, “estas medidas excluirão do mercado europeu os aspiradores de muito baixo preço e consequente baixa qualidade que acabam por ter uma reduzida eficácia de limpeza”. A etiqueta energética também destacará indicadores-chave para a satisfação de uso, tais como o nível de ruído.

Os dados da marca do Grupo SEB indicam que a nova regulamentação vai permitir poupar energia, resultando num impacto positivo no ambiente equivalente à prevenção das emissões de C0₂ de 3,3 milhões carros ou a 6.600 mil viagens de ida e volta de uma pessoa de Paris a Nova Iorque. Atualmente existem na Europa 288 milhões de aspiradores e o consumo anual destes aparelhos gera 6,6 megatoneladas de emissão de CO2.

A Rowenta começou a trabalhar nos requisitos preconizados pela nova legislação há já muito tempo e em 2011, depois de 10 patentes e 15 anos de pesquisa, lançou a gama Silence Force Extreme, tendo iniciado a sua oferta de aspiradores de baixo consumo energético (consumo de 1.100 watts com performance equivalente a 2.200 watts). Em 2012, equipou os seus aspiradores sem saco Silence Force Extreme Cyclonic e o Compact Force Cyclonic com motores de 900 watts e já este ano, em julho, lança uma nova gama de aspiradores equipados com motores com menos de 900 watts que alcançam o mesmo nível de desempenho das soluções Rowenta anteriores.