Paris é o mercado de retalho mais atrativo do mundo

8 JULHO 2014
De acordo com a mais recente edição do estudo “How Global is the Business of Retail” da consultora imobiliária global CBRE, Paris é o mercado de retalho mais atrativo do mundo, tendo captado 50 novas marcas no ano passado.

Em 2013, os retalhistas concentraram-se em mercados mais maduros, com 18 das cidades prioritárias identificadas como mercados maduros, por comparação a apenas 14 no ano anterior. 83% das cidades em análise registou pelo menos uma nova entrada (face a 81% no ano anterior), com os mercados prioritários a registarem um aumento de 28% nas novas entradas.

O número de novas entradas em termos de cidades aumentou 26% em variação homóloga, com um número crescente de retalhistas a atravessar fronteiras para expandir os seus negócios. Paris subiu em popularidade entre as cidades mais atrativas para os retalhistas, acolhendo cinco centros comerciais em 2013, mas foi o comércio de rua em zonas prime que atraiu a maioria das marcas globais. A concorrência entre as marcas de luxo nestas zonas de comércio de rua é intensa devido ao aumento da procura por parte dos turistas, em especial da China.

Lisboa desceu um lugar no ranking das cidades mais atrativas para retalhistas, ocupando agora o 39,º lugar, numa lista de 189 cidades. “Apesar da conjuntura económica desfavorável e do momento delicado que todos vivemos, regista-se um dinamismo crescente no comércio de rua, nomeadamente nas chamadas zonas prime e nas localizações que, de alguma forma, beneficiam do crescente fluxo de turistas que nos visitam”, comenta Carlos Récio, diretor de Agência de Retail da CBRE Portugal. No último ano registámos a entrada em Portugal de um conjunto de marcas internacionais, como a Cartier, Michael Kors, Tiger, Fancy Jewelery, Aristocrazy e “seguramente que em 2014 esta tendência de novas entradas de no mercado nacional irá continuar.”

França também encabeçou a tabela dos países mais atrativos, à frente do Japão e de Hong Kong, e registou uma confiança renovada no mercado. Paris foi o principal ponto de entrada para muitos retalhistas e registou uma subida das rendas para os níveis mais elevados da última década, devido ao interesse significativo por parte dos retalhistas globais na quantidade limitada de espaço prime disponível. Paris não foi o único mercado-alvo. Os retalhistas também escolheram outras nove cidades francesas para instalar a sua primeira loja.

Tóquio ocupa o segundo lugar entre as cidades mais atrativas para retalhistas globais, tendo duplicado o número de novas entradas (48) face a 2012, o que reflete confiança renovada nas perspetivas económicas do Japão. Metade das novas entradas (24) vieram dos Estados Unidos da América e 18 vieram da Europa. Hong Kong e Abu Dabi foram os terceiro e quarto mercados mais atrativos, com 43 e 42 novas entradas, respetivamente.

Por sua vez, Londres acolhe mais marcas internacionais do que qualquer outra cidade. No ano passado atraiu 31 novas entradas. O top 10 das cidades compreende ainda Pequim, Moscovo, Xangai, Frankfurt, Taipé e Singapura.