Metade dos eletrodomésticos não cumpre regras europeias

23 MAIO 2013

Mais de metade dos aparelhos verificados, no último ano, pela Quercus em lojas de eletrodomésticos não cumpria as novas regras europeias de rotulagem energética, estavam mal etiquetados ou faltavam etiquetas. Os piores resultados desta avaliação realizada no âmbito da iniciativa “Come on Labels” foram registados nos hipermercados e cash & carry.

A Quercus visitou cerca de 60 lojas, entre 2012 e 2013, e verificou 17 mil produtos, dos quais 56% não estava em conformidade com as regras para a informação sobre consumo de energia. Destes 56%, 29% estava mal etiquetado e 27% não tinha sequer etiquetas.

De acordo com a associação ambientalista, a taxa de presença das etiquetas energéticas corretamente colocadas nos aparelhos domésticos à venda é significativa, mas fica “aquém do desejável". Principalmente nos grandes domésticos, como máquinas de lavar e aparelhos de refrigeração, com pouco mais de metade a cumprir os requisitos legais. A menor taxa de etiquetas corretamente colocada é encontrada no ar condicionado e nos equipamentos de armazenamento de vinhos, com 20% e 30%, respetivamente.

De todas as lojas monitorizadas, nos distritos de Lisboa, Santarém, Castelo Branco e Porto, as grandes cadeias de retalhistas são as que mais corretamente colocam as etiquetas energéticas nos aparelhos, enquanto as lojas de venda online e, principalmente, os hipermercados/cash & carry, apresentam os piores resultados. Os erros mais frequentes foram as etiquetas dentro dos aparelhos ou tapadas por outros objetos, autocolantes ou preço, etiquetas a preto e branco ou preenchidas pelos retalhistas.

Com a cortesia da Revismarket.