Apenas uma em cada 100 pessoas que visitam uma loja Apple faz compras

29 JULHO 2014
Apenas uma em cada 100 pessoas que visitam uma loja Apple compra algo”. A revelação foi feita por Ron Johnson, antigo diretor de retalho da Apple, durante uma entrevista em Stanford citada pela Cnet.

Uma baixa percentagem que não preocupa a multinacional norte-americana, segundo o mesmo responsável, já que as lojas Apple são lugares “para estar” mais do que para comprar. O antigo gestor do negócio de retalho da tecnológica explicou que o grande objetivo das lojas não são as receitas mas proporcionar aos clientes e potenciais clientes uma experiência pessoal da marca verdadeiramente marcante.

A receita destas lojas é, de acordo com Ron Johnson, “alta tecnologia e alta interatividade”. O antigo diretor notou até que, apesar dos centros comerciais serem lugares ruidosos e confusos, as Apple Stores são precisamente o oposto, não obstante serem as lojas mais concorridas dos centros comerciais.

Na Europa, o design das lojas Apple vai também passar a ser uma marca registada, tal como acontece nos Estados Unidos da América, após a autorização recente do Tribunal de Justiça da União Europeia.

A sentença do tribunal europeu vem, assim, revogar a decisão do gabinete alemão de patentes e marcas, que alegava que o consumidor não perceciona a representação de espaços destinados à venda de produtos de uma empresa como uma indicação da origem dos artigos. A Apple recorreu da decisão e o caso acabou no Tribunal do Luxemburgo.

Com a cortesia da Revismarket.