Carrefour acusado de destruição do valor dos produtos espanhóis

24 MAIO 2013

A UPA, uma união de pequenos agricultores espanhola, acusou o Carrefour de ter comportamentos distintos para produtores espanhóis e franceses. De acordo com a associação agrária, o Carrefour é “uma peça-chave na destruição de valor na cadeira agroalimentar em Espanha”, dando como exemplos a venda de leite, em que um litro custa em França cerca de 99 cêntimos e em Espanha cerca de 55 cêntimos; o frango, que em França custa 3,25 euros o quilograma e em Espanha 1,99 euros; e o óleo de girassol, 82% mais caro em França do que em Espanha.

A UPA teme que a utilização, por parte das grandes cadeias, dos produtos básicos como instrumentos de campanha pretenda marcar uma tendência de baixa dos preços na origem, que poderá provocar perdas milionárias aos agricultores. Em Espanha, o Carrefour tem uma quota de 20%, o que, de acordo com a união de agricultores, faz com que o seu comportamento dite as regras no mercado. “Pedimos à empresa que atue com responsabilidade, sendo consciente do seu poder para marcar o preço de um produto”.

A UPA espera que a lei sobre a cadeia alimentar, que passou ao Senado, sirva para impedir práticas como esta, que acredita serem a causa direta da crise de rentabilidade que atravessa o sector agrário espanhol.