Grupo Metro volta a apresentar prejuízos

4 AGOSTO 2014
O Grupo Metro reportou prejuízos de 83 milhões de euros no terceiro trimestre do seu ano fiscal, concluído a 30 de junho, o que compara com os lucros de 15 milhões de euros apresentados no ano anterior. Este é o segundo trimestre consecutivo em que o grupo retalhista alemão declara perdas.

As vendas líquidas caíram 2,7% para os 14,9 milhões de euros no trimestre e 4,4% para 47,9 mil milhões de euros no período de nove meses concluído a 30 de junho. A empresa atribui este desempenho a efeitos cambiais negativos e ao desinvestimento em várias unidades de negócio, nomeadamente os hipermercados Real na Europa Central e de Leste, os cash & carry Makro no Egito e a Media Markt na China.

Muitas das insígnias reportaram uma contração das vendas tanto no trimestre como nos nove meses, exceto a Media-Saturn, que conseguiu um ligeiro aumento de 0,9% no terceiro trimestre (no período de nove meses, as vendas caíram 1,3% para 16 mil milhões de euros), e as department stores Galeria Kauhof, que geraram aumentos em ambos os períodos. Na divisão de cash & carry, as vendas totais dos nove meses caíram 2,1%, para os 22,9 mil milhões de euros (embora numa base comparável tenham crescido 1,2%), penalizadas pela queda de 0,4% no mercado alemão, de 0,7% nos restantes países da Europa Ocidental e, sobretudo, de 5% na Europa de Leste.

Numa base comparável do universo de lojas, as vendas do Grupo Metro cresceram 1,7% no trimestre. Neste período, o grupo alemão continuou a desenvolver novos canais e formatos de venda e gamas de produto que, segundo garante, estão a contribuir positivamente para os resultados. O comércio eletrónico, por exemplo, está cada vez mais dinâmico e já representa cerca de 7% das vendas totais da Media-Saturn que, entre outubro de 2013 e junho passado, gerou vendas no valor de 1,1 mil milhões de euros através deste canal.