Sonae recomenda medidas à União Europeia para melhorar cadeia alimentar

7 AGOSTO 2014
A Sonae integra o grupo de signatários da declaração conjunta em prol da sustentabilidade da cadeia alimentar, que tem como objetivo garantir aos cidadãos europeus o abastecimento de bens alimentares de forma sustentável, tendo em conta preocupações económicas, sociais e ambientais.

Em comunicado, a Sonae afirma que a iniciativa intitulada "Ações para uma cadeia alimentar europeia mais sustentável", desenvolvida no âmbito do “Stakeholder Dialogue Group on Food Sustainability” (Grupo para o Diálogo sobre a Sustentabilidade Alimentar) pretende que a União Europeia promova uma abordagem mais coesa na salvaguarda da sustentabilidade dos sistemas alimentares para as gerações futuras. Este Grupo emanou do Fórum de Alto Nível sobre a Melhoria do Funcionamento da Cadeia de Abastecimento Alimentar - um órgão consultivo da Comissão Europeia, cujo objetivo é assegurar a coerência das iniciativas desta última e colaborar na definição da política industrial europeia no sector agroalimentar.

A Declaração inclui 32 recomendações de políticas concretas que podem ajudar a alcançar uma cadeia alimentar mais sustentável até 2020, incluindo uma maior coerência entre os diferentes objetivos das políticas relacionadas com a alimentação e entre plataformas de intervenientes da EU. A iniciativa realça a importância de ter em conta todos os aspetos da sustentabilidade, que vão desde a agricultura e pescas, políticas ambientais, de saúde e consumidores, até às políticas de gestão de resíduos e de energia.

Os signatários da Declaração definiram a sustentabilidade dos sistemas alimentares como "o envolvimento contínuo das partes interessadas da cadeia alimentar para alcançar um baixo impacto ambiental, contribuindo para a segurança alimentar e nutricional e para a vida saudável das gerações presentes e futuras". Estes sistemas devem ser "protetores e respeitosos da biodiversidade e dos ecossistemas, culturalmente aceitáveis, disponíveis, economicamente justos e acessíveis; nutricionalmente adequados, seguros e saudáveis; além de otimizar os recursos naturais e humanos". Por fim, "sustentabilidade significa garantir os direitos humanos e o bem-estar, sem esgotar ou diminuir a capacidade dos ecossistemas do planeta de sustentar a vida ou à custa do bem-estar de outros".

A definição engloba os três pilares da sustentabilidade - social, económico e ambiental- os quais necessitam de ser alvo de atuação simultaneamente de forma a assegurar a sustentabilidade dos sistemas alimentares.

O “Stakeholder Dialogue Group on Food Sustainability” (Grupo para o Diálogo sobre a Sustentabilidade Alimentar) é um grupo voluntário estabelecido em setembro de 2013 e que integra as principais associações sectoriais da cadeia alimentar, desde a produção até à distribuição, bem como associações não-governamentais, sendo a Sonae a única empresa de retalho representada diretamente.

Em conjunto, estas organizações vão trabalhar em 2014 e no futuro com o intuito de que a União Europeia adote as recomendações constantes do documento, promovendo a sustentabilidade da cadeia alimentar europeia.