Vendas de medicamentos em Portugal Continental desceu 4,3%

2 SETEMBRO 2014
As vendas de medicamentos em farmácias em Portugal Continental em 2013 situaram-se nos 2.489 milhões de euros, o que representa uma queda de 4,3% face a 2012 e de 25,7% face ao máximo registado no ano de 2008, segundo o estudo Sectores Portugal: “Indústria Farmacêutica” publicado pela Informa D&B.

Em termos de número de embalagens comercializadas, observa-se um moderado crescimento no biénio 2012-2013, o que reflete a redução dos preços. Nos últimos anos registou-se uma diminuição do valor do mercado português de medicamentos, como consequência da contração dos preços, que foi motivada pelas medidas aplicadas pelo Governo destinadas a reduzir a despesa pública farmacêutica.

Em 2013 o balanço comercial do sector apresenta um saldo deficitário, embora no período 2011-2013 se tenha reduzido quase 10% por ano, até se situar neste último ano em 1.061 milhões de euros, num contexto de crescimento das exportações e decréscimo das importações.

Em 2012 operavam em Portugal 106 empresas dedicadas ao fabrico de especialidades farmacêuticas, o que representa um decréscimo de 9,4% face a 2011 e uma variação média anual negativa de 4,6% em relação ao ano de 2009.

A zona de Lisboa concentra cerca de 70% dos laboratórios, à frente das zonas Norte e Centro com participações respetivas sobre o número total de 17% e 11%.

O capital estrangeiro tem uma grande importância no sector, destacando-se o de origem suíça, britânica, espanhola, alemã, italiana, francesa e dos Estados Unidos da América. Apenas sete das 40 primeiras empresas do sector estão participadas maioritariamente por acionistas de nacionalidade portuguesa.